31 de outubro de 2009

Área indígena ameaçada por tráfico de drogas


A situação está tensa na reserva indígena do Alto Turiaçu, que faz fronteira com os municípios de Maranhãozinho, Centro Novo, Centro Guilherme, Santa Luzia do Paruá, Alto Alegre e Zé Doca. Cerca de 26 mil mudas de maconha, em 17 novas áreas, já foram destruídas por militares do Grupo tatico Aéreo (GTA) em parceria com a Polícia Federal. Além disso, garimpeiros e madeireiros disputam espaço em extração ilegal na divisa com a reserva.

A operação que é feita em conjunto com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Fundação Nacional do Índio (Funai), Ministério Público Federal (MPF) e Polícia Federal (PF) já têm um ano e meio. Intitulada de Operação Arco de Fogo, além de fiscalizar a exploração dos recursos naturais de forma indevida nas terras indígenas, averigua também casos de plantação de maconha na região.


Segundo o Secretário Adjunto de Inteligência e Assuntos Estratégicos da Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA), Aluísio Mendes, a região já vem sendo usada no plantio da droga. “A estratégia é causar prejuízos aos traficantes, combater a capacidade de produção e o tráfico de maconha ainda na fase de plantio, antes da colheita”, afirmou Mendes.

Zé Doca em Foco 31/10/2009

Nenhum comentário: