14 de dezembro de 2009

Sérgio Guerra critica Lula por dizer palavrão em discurso no MA


O presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), criticou nesta sexta-feira o palavrão que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse num discurso em São Luís no Maranhão. Segundo Sérgio Guerra, a declaração "grosseira" revela que o povo vai mal enquanto o presidente está bem na vida.
"O palavrão que saiu da boca do presidente Lula num discurso choca menos pela grosseria do que pela sinceridade. Um general-presidente da época do 'milagre econômico' brasileiro disse uma vez que o País ia bem, mas o povo ia mal. O atual presidente disse, com outras palavras, que ele mesmo vai bem, mas o povo vai mal", disse.
O senador disse que a comparação do presidente Lula serve mais para os resultados da economia do que para o povo brasileiro. "O fraco desempenho da economia no terceiro semestre de 2009 desmente mais uma vez a retórica oficial sobre a crise financeira. Na hipótese mais otimista, vamos terminar o ano com zero ou quase zero de crescimento do PIB", afirmou.


Enquanto a oposição reclama, a Conferencia Nacional dos Bispos do Brasil minimiza as palavras do presidente Lula. O presidente da CNBB, d. Geraldo Lyrio Rocha, disse que não pode julgar palavras espontâneas do presidente da República. "Acho que isso pode ter sido um ato espontâneo. A gente não deve nem minimizar coisas graves, nem agravar as coisas que podem ser assimiladas de maneira mais simples. Eu não digo palavrão no meu dia a dia, mas nem por isso me julgo no direito de condenar outras pessoas. Eu prefiro minimizar o fato".
Ao fazer um discurso sobre saneamento básico em São Luís, no Maranhão. Lula afirmou que não quer levar em conta os partidos dos prefeitos das cidades brasileiras e quer apenas "tirar o povo da merda".
"Eu não quero saber se o (prefeito de São Luís) João Castelo é do PSDB, se o outro é do PFL (atual DEM) ou se é do PT. Eu quero saber se o povo está na merda e quero tirar o povo da merda em que ele se encontra", disse Lula.
O presidente Lula assinou no Maranhão contratos do programa de habitação Minha Casa, Minha Vida e reconheceu que falou palavrão na cerimônia, sem, no entanto, se arrepender do improviso no discurso. "Lógico que falei um palavrão aqui. Amanhã os comentaristas dos grandes jornais vão falar que o Lula falou um palavrão, mas eu tenho consciência de que eles falam mais palavrão do que eu todo o dia", afirmou.

Zé Doca em Foco 14/12/2009

Nenhum comentário: