11 de julho de 2010

SES e Fiocruz pesquisarão as condições de nascimento e de assistência ao parto em Zé Doca

As ações também serão realizadas em Afonso Cunha, Aldeias Altas, Altamira do Maranhão e Caxias.
Cinco municípios maranhenses participam da pesquisa sobre as "Condições de Nascimento e de Assistência ao Parto em uma Amostra de Municípios de Médio e Pequeno Porte no Norte, Nordeste e Vale do Jequitinhonha em Minas Gerais". Com o apoio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), a pesquisa, desenvolvida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), será executada no estado, a partir da segunda quinzena deste mês.

A pesquisa pretende identificar os fatores determinantes da mortalidade infantil em uma amostra de municípios de pequeno e médio porte das regiões Norte e Nordeste do Brasil e no Vale do Jequitinhonha em Minas Gerais. Em todo o país serão pesquisados 75 municípios de até 200.000 habitantes, sendo que cinco são maranhenses: Afonso Cunha, Aldeias Altas, Altamira do Maranhão, Caxias e Zé Doca. O critério adotado para seleção dos municípios foi sorteio.

Técnicos da SES e da Fioruz definiram, nesta quinta-feira (1º), as diretrizes da investigação dos óbitos infantis nos municípios maranhenses. A pesquisadora Sônia Duarte de Azevedo Bittencourt apresentou o projeto da pesquisa, que tem como objetivo, a investigação desses óbitos e de possíveis falhas nos serviços de saúde, o que segundo a pesquisadora pode contribuir na estratégia de redução da mortalidade infantil em todo o país.

"O Brasil tem conseguido grandes avanços na redução da mortalidade infantil, mas, os avanços são menores nas regiões Norte e Nordeste do Brasil. Depois dos seis meses de coletas de dados, nos esperamos que até março de 2011 já tenhamos o resultado. Nosso objetivo é identificar os determinantes da mortalidade infantil.", pontuou a pesquisadora.

Para a superintendente da Atenção Básica da SES, Marielza Cruz Sousa, a pesquisa "é um grande caminho. É uma forma de identificar possíveis deficiências para que de forma conjunta, as soluções sejam encontradas. Depois da pesquisa, de posse dos dados apurados, será possível fazer um diagnóstico e traçar novas estratégias em favor de uma população que muito precisa. Nos de fato, precisamos atender melhor a mulher e a criança", avaliou Marielza Cruz Sousa.

A pesquisa vai traçar um diagnóstico da organização e integração da rede de assistência ao parto e ao recém-nascido nos municípios do estudo. O superintendente de Epidemiologia e Controle de Doenças, Henrique Jorge dos Santos ressaltou que essa pesquisa vai fornecer subsídios para a proposta de intervenção.

"Essa pesquisa, que tem o nosso apoio, tem um valor extraordinária, pois vai complementar o trabalho feito anteriormente em outros onze municípios. Nós vamos ter como gestores, a profundidade das causas que estão provocando nos municípios o óbito infantil. O secretario de Estado da Saúde, José Márcio Leite deu todo o apoio e já estamos com todas as condições para executar a pesquisa, em parceria com a Fiocruz", afirmou Henrique Jorge.

Participaram da reunião, além da superintendente da Atenção Básica Marielza Cruz Sousa e o superintendente de Epidemiologia e Controle de Doenças, Henrique Jorge dos Santos, a chefe do Departamento de Epidemiologia, Maria das Graças Lírio Leite; a chefe do Departamento SIM/SINASC Valna Melo Soares; chefe do Departamento de Saúde da Mulher, Ana Maria Silva; a chefe do Departamento de Atenção à Saúde da Família, Silvia Maria Costa Amorim, entre outros técnicos.

Zé Doca em Foco 11/07/10

Nenhum comentário: