28 de agosto de 2010

Traficantes são presos em Zé Doca

ZÉ DOCA - Uma operação conjunta da Delegacia Regional de Zé Doca com a 12ª Companhia Militar Independente resultou na prisão em flagrante delito dos traficantes De Sueldes Alves Diniz, o ‘Chinês’, 38 anos e seu sobrinho, Rogério Gomes da Silva, 19 anos, ambos moradores da Rua Djalma Dutra, s/nº, Vila do BEC, naquele município. 
A polícia já vinha investigando os traficantes havia mais de três meses. Chinês é apontado como um dos maiores fornecedores de drogas na cidade de Zé Doca. Os policiais montaram uma campana na cidade, conseguindo prendê-los no momento em saíam de casa para fazer uma entrega de 14 papelotes grandes de crack, avaliados em cerca de R$ 1.500,00. 
Na residência de Chinês foram apreendidas mais quatro cabeças grandes de crack, R$ 400, além de grande quantidade de material destinado ao embalo da substância entorpecente.
A polícia conseguiu apreender, também, na residência de De Sueldes aproximadamente dez aparelhos celulares de diversas marcas, possivelmente trocados por drogas com viciados. 
Outro fato que chamou atenção da polícia era que muitos desses aparelhos tinham chips da operadora OI, que não possui torre na cidade de Zé Doca, levando a crer que os aparelhos sejam produtos de assaltos a ônibus interestaduais, ao longo da BR-316. O delegado disse que esse fato será investigado pela polícia, e caso fique comprovado que os aparelhos sejam produtos de crime, o elemento responderá, também por receptação. 
Além de De Sueldes Alves Diniz, foi preso também seu sobrinho, Rodrigo Gomes da Silva, que é encarregado de fazer o transporte da droga, juntamente com seu tio, motivo pelo qual ambos foram presos pelos policiais, e autuados pelo delegado Luís Cláudio Balby, da Regional de Zé Doca, por tráfico de drogas e associação ao tráfico. 
Em depoimento, De Sueldes Diniz afirmou que responde também a um processo por tráfico na Comarca de Itapecuru-Mirim, e estava foragido.

Zé Doca em Foco 27/08/10

Condenado pela chacina que abalou Zé Doca foge de presídio

Três presidiários fugiram ontem do Presídio São Luís, localizado no Complexo Penitenciário de Pedrinhas e que é considerado de segurança máxima. A fuga aconteceu por volta do meio-dia e saíram da prisão Valdimar Lindoso Ferreira, que ganhou o apelido de “Motoboy”, 38 anos; Ricardo Arêa Leão Silva, conhecido como “Bolota”, 29 anos; e Luís Teixeira Lima, o “Bida”. A Secretaria de Segurança Pública informou que já intensificou as investigações e busca aos presos.
De acordo com informações da Secretaria Adjunta de Administração Penitenciária (SAAP), os detentos trabalhavam na fábrica de bolas que fica dentro do Presídio São Luís. Na fuga, eles pularam o muro para o anexo da unidade, e com a ajuda de pedaços de madeira atravessaram o alambrado nos fundos da prisão. O fato aconteceu no horário de almoço.
Chacina dos Inocentes – Valdimar Lindoso cumpre pena por homicídio qualificado, crime ocorrido em abril de 2006, que ficou conhecido como a “Chacina da Família Inocentes”, em que cinco pessoas foram assassinadas brutalmente, entre elas o próprio filho do criminoso, uma criança de seis anos. Para matar as vítimas ele usou uma pistola 380 com silenciador.
As vítimas da chacina foram sua ex-mulher, Helen Rose dos Inocentes Ferreira, na época com 31 anos; o filho do casal, Erick Ricardo Matos Ferreira, de seis anos; o ex-sogro Raimundo João dos Inocentes, 60 anos; a ex-sogra Maria José Matos dos Inocentes, 57 anos, e a ex-cunhada Érica Rosana Matos dos Inocentes. A intenção do acusado seria matar toda a família, mas Eline Rosely Matos dos Inocentes, então com 24 anos, foi baleada na boca e sobreviveu após passar vários dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), do Hospital Centro Médico; seu irmão, Edinaldo Rogério Matos dos Inocentes, não estava na casa.
O julgamento de Valdimar Lindoso aconteceu no dia 22 de maio do ano passado e durou quase 24 horas, no Fórum Desembargador Sarney Costa, no Calhau. A sessão começou na manhã da sexta-feira e terminou na madrugada de sábado, tendo ele sido condenado a 98 anos de prisão.
Mais dois fujões – Luís Teixeira é acusado de latrocínio, condenado pela participação numa chacina no assentamento Camarú II, que abalou o município de Zé Doca, onde oito pessoas, entre elas quatro crianças com idades entre 11 e dois anos, foram barbaramente executadas com golpes de faca, pauladas e tiros de espingarda de fabricação artesanal. O crime teria sido motivado pela quantia de R$ 2 mil.
Já Ricardo Arêa é natural de Floriano (PI), e responde pelos crimes de roubo qualificado e tráfico de drogas, condenado a seis anos de prisão.
A Corregedoria da SAAP já instaurou inquérito administrativo para investigar as circunstâncias em que ocorreu o fato. Policiais do Grupo Tático Aéreo (GTA), do 6º Batalhão da Polícia Militar e a Polícia Civil em conjunto com a Secretaria Adjunta de Inteligência e Ações Estratégicas deflagraram ações em vários pontos de São Luís a fim de localizar e recapturar os três foragidos. Qualquer informação que leve à localização dos fugitivos pode ser repassada ao Disque Denúncia pelos telefones 3223 5800 (capital), 03003155800 (interior), além do 190 (Ciops).

Zé Doca em Foco 27/08/10

20 de agosto de 2010

Homem preso por assassinato tambem confessa crime em Zé Doca

Em cumprimento a mandado de prisão preventiva, a Polícia Civil prendeu no último domingo, 15, Telmir Silva, 36 anos, no município de Penalva. Também conhecido por “Burra Cega”, “Anador” ou “Doidão”, ele é acusado de matar sua própria mulher, Rejane da Silva Nascimento, 31 anos, no mês de maio deste ano, com 35 facadas. O crime, que aconteceu na Vila Pirâmide, teria sido motivado por uma suposta traição cometida por Rejane.
Em depoimento, o suspeito relatou que estava em uma festa, quando uma pessoa não identificada lhe avisou que sua namorada estava se encontrando com outro homem na residência do irmão da vítima, mesmo local onde eles também costumavam se encontrar.  Ele então teria decidido conferir o fato, e ao chegar se deparou com um rapaz saindo da residência, e em seguida agrediu Rejane da Silva a facadas.
O crime ocorreu no dia 9 do mês de maio. A mulher ainda foi levada para o Hospital Municipal Clementino Moura, o Socorrão II, onde ficou internada por dois dias, mas não resistiu aos ferimentos.
As investigações foram feitas pela Delegacia de Paço do Lumiar, sob o comando do delegado Wang Chao Jen, que encaminhou solicitação de mandado de prisão preventiva contra o acusado, expedido em junho deste ano, mas ele já havia fugido. Após vários dias investigando, a Polícia Civil de Paço do Lumiar por meio de informações repassadas ao Disque Denúncia (3223 5800), manteve contato com a delegacia de Penalva, para localizar e prender o acusado.
Assim, a Polícia Civil da cidade de Penalva, que também já estava recebendo denúncias de crimes cometidos por Telmir, ao tomar conhecimento da existência do mandado de prisão iniciou diligências em toda região. Ele foi localizado e preso no povoado Jacaré.
Segundo o delegado Wang, Telmir ainda resistiu à prisão, mas foi levado à delegacia da cidade, e transferido domingo pela manhã para a delegacia de Paço do Lumiar, onde prestou depoimento e foi conduzido para a Penitenciária de Pedrinhas, e responderá pelo crime de homicídio qualificado. 
Outros crimes – Além desse crime, Telmir Silva também confessou mais dois homicídios. Um deles aconteceu quando ele tinha 18 anos, e vitimou um rapaz conhecido como “Nato”, na região de Zé Doca, morto a golpes de faca após uma discussão. Ele trabalhava como flanelinha da feira da Cidade Operária, onde também cometia pequenos furtos naquela área.

Zé Doca em Foco 20/08/10

Novo Padre de Zé Doca toma posse no dia 22 de agosto

Apresentação de Padre Agnaldo em Zé Doca, como Vigário Paroquial, acontecerá dia 22 de agosto, às 19h30, na Catedral Santo Antonio.

Zé Doca em Foco 20/08/10

VICIADO PRESO POR TENTATIVA DE HOMICÍDIO EM ZÉ DOCA

ELISSANDRO DA CONCEIÇÃO TENTOU MATAR A PRÓPRIA MÃE EM ZÉ DOCA


A cidade de Zé Doca, 301 Km de São Luís, foi palco de um crime bárbaro, desta feita o jovem Elissandro da Conceição, 22 anos, tentou matar a própria mãe, Eliete Maria da Conceição, 46 anos. O autor da tentativa de homicídio, segundo sua mãe, é viciado em drogas e após chegar em sua residência no Povoado denominado, Quadra Cinco de Fevereiro, Zona Rural de Zé Doca, primeiramente tentou atear fogo na frente da casa e ao ser descoberto despisto-a dizendo que o princípio de incêndio se dera em decorrência de uma ponta de cigarro que caíra no mato e gerou o fogo. Passados alguns minutos, a vítima, já dentro de casa, foi alertada e socorrida por vizinhos que deram o alarme de incêndio e a tiraram de dentro de sua casa, já em chamas, pois seu filho tentará matá-la, queimada, pondo fogo na residência. Policiais civis e militares de Zé Doca foram acionados e conseguiram prender o criminoso em flagrante. A polícia acredita que os motivos que levaram o indiciado a cometer o crime foi o fato do mesmo ser usuário de drogas e toda vez que chegava em casa tentava agredir os irmãos e a mãe. Por conta do incêndio, Elissandro foi autuado pelo delegado Sebastião Porfírio por tentativa de homicídio, na forma da Lei Maria da Penha, 11340/06, ficando preso na Delegacia de Zé Doca a disposição da Justiça.
 
Zé Doca em Foco 20/08/10

Neto Evangelista recebe o apoio do município de Zé Doca

O candidato a deputado estadual, pela coligação “O Povo é Maior”, Neto Evangelista (PSDB), esteve nesta última semana, visitando a região oeste do Maranhão. Em Zé Doca participou de diversas reuniões e promoveu o lançamento de sua candidatura.Além da presença de milhares de populares, o evento reuniu autoridades do cenário político, lideranças comunitárias e representantes de várias entidades, entre elas o vice-presidente do Sindicato dos Criadores de Zé Doca, Leonilson e o líder do Movimento Jovem, Adailton II.
O diretor da rádio Alvorada, Constantino Neto e os líderes comunitários Antônio, Ana, Dona Nega e os irmãos Vicente e Arlindo também participaram.
Prestigiaram ainda, a prefeita de Lago da Pedra, Maura Jorge (DEM), os vereadores Osmar Filho (PTC-São Luís) e Maria Celeste Lima (Anajatuba), o candidato a deputado federal Flauberth Amaral (PTB), o secretário de Emprego e Renda, Walter Carvalho [Santa Rita] e o ex-vereador Alcobaça [Zé Doca]. Todos garantiram apoio à Neto Evangelista.
Muito aclamado, Neto disse à multidão estar contente pela forma como foi recebido. Ressaltou, ainda, dar continuidade ao compromisso assumido por seu pai [João Evangelista] com relação ao Centro de Estudos Superiores da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) no município.
Além desta conquista, ele destacou a criação da delegacia regional, de casas populares e a disponibilidade de água e energia para vários povoados da região.
Sobre o campus da UEMA, Neto disse que a infra-estrutura e a variedade de cursos precisam ser melhoradas. “A educação é caminho para o desenvolvimento de uma nação. A população maranhense merece melhores instalações e uma maior disponibilidade de cursos”, afirmou.
Atualmente a instituição possui centro de Estudos Superiores nos municípios de Imperatriz, Caxias, Balsas, Bacabal, Timon, Pedreiras, Grajaú, Santa Inês, Açailândia e Zé Doca. E neste último, ela oferece aos alunos, apenas, a formação em três cursos: de Letras, Biologia e Enfermagem, o que para ele é um número insuficiente e, até, vergonhoso para a demanda da região.
Ainda em Zé Doca, Neto caminhou com lideranças e populares pelo comércio local e mercado central. Visitou também as instalações do colégio Bandeirantes, onde foi bastante aclamado.
Visita aos povoados
Em Ebenézia, Neto Evangelista participou do aniversário de 82 anos do Sr. Chico Viana, o patriarca de uma das famílias fundadoras da localidade. Já em Igarapé Grande, acompanhado do ex-vereador Pituca, visitou 297 casas. “Fiz questão de entrar de casa em casa e declarar meu compromisso para com o povo maranhense”.
Zé Doca em foco 20/08/10

Índios protestam contra invasão de terras em Zé Doca

SÃO LUÍS - Índios da etnia Awa-Guajá, estão protestando contra a invasão de suas terras na região central do Maranhão. Por decisão judicial, a demarcação da terra está parada, e os índios nômades pela primeira vez saíram das tribos para pedirem providências.

Os Awa-Guajás são caçadores coletores. Dependem exclusivamente da floresta para sobreviver, e estão entre os últimos índios nômades do mundo, segundo o Conselho Indigenista Missionário (Cimi). Eles vivem isolados, em pequenos grupos, no que sobrou da Floresta Amazônica no Maranhão.
Aproximadamente 100 índios, organizados pelo Cimi e pela Igreja católica, saíram da floresta, na maioria, pela primeira vez, para mostrar que existem. Os indígenas montaram acampamentos no Centro do município de Zé Doca, na região Oeste do Maranhão. A ocupação seria uma reação contra o prefeito do município, Raimundo Nonato Sampaio, que, numa estratégia para barrar a demarcação das terras, teria negado a existência das tribos nômades.
Em 1985, uma área do 232 mil hectares foi declarada como território Awa. Em 2002, quando a terra foi demarcada, apenas 117 mil hectares foram destinados para a reserva indígena. A Justiça Federal determinou, em 2005, a saída de todos os não-índios da reserva. Mas a Prefeitura de Zé Doca entrou com um mandado de segurança, e o Tribunal Regional Federal de Brasília decidiu manter os não-índios até o julgamento final do conflito.
"Que isso seja feito de um jeito que a minha população também seja lotada no seu lugar. Que 18 mil hectares de cento e tantos mil hectares eu acho que não é pedir demais", defendeu Raimundo Sampaio, prefeito de Zé Doca.
A ação dos madeireiros também seria uma ameaça á sobrevivência de pelo menos 60 índios awa-guajá que ainda não foram contatados.
"Se eles permanecem a se deslocar pela floresta, riscos de vida há com relação a ataques contra essa população", alertou Rosana Diniz, coordenadora do CIMI.
Enquanto aguardam uma solução para o conflito os índios fazem seu ritual pedindo proteção. A ida para o céu é o ritual mais importante para os awa-guajá. Eles evocam os espíritos dos antepassados para que protejam a vida na terra.
De acordo com o CIMI, dez mil famílias estariam ocupando ilegalmente a área da reserva.

Zé Doca em foco 20/08/10