8 de fevereiro de 2012

FAEMA pede ajuda ao governo para conter roubo de gado em fazendas do MA

O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Maranhão (FAEMA), José Hilton Coelho de Sousa, pediu ao Governo do Estado providências para conter a onda de violência, motivada por roubo de gado, por parte de quadrilhas especializadas que estão agindo no interior maranhense. Segundo ele, os sindicatos de produtores rurais, filiados ao Sistema Sindical Rural, de Bacabal, Colinas, Peritoró, Santa Inês e Zé Doca, estão preocupados com essa situação.

“Faremos todos os esforços possíveis para que as autoridades estejam informadas das ocorrências. A FAEMA vai elaborar e distribuir para seus sindicatos uma cartilha com medidas preventivas que o produtor pode tomar para minimizar o problema, da mesma forma como foi feito em outros estados que passaram pela mesma situação de risco" afirmou José Hilton.


De acordo com o presidente da FAEMA, as quadrilhas estão agindo com extrema violência, inclusive com seqüestros, ameaças de morte e casos de estupro. “As quadrilhas estão agindo de forma organizada, com o apoio de proprietários de caminhões-gaiolas. Eles invadem as fazendas e levam grande quantidade de cabeças de gado, escolhidas entre as melhores, e desaparecem”, disse.


Reuniões – Para discutir os problemas e buscar soluções, a FAEMA está promovendo, em São Luís, reuniões com dirigentes de sindicatos rurais e criadores. As ações criminosas demonstram a formação de quadrilhas, com grandes recursos financeiros, já que contratam as gaiolas que transportam os animais sem qualquer fiscalização por parte dos órgãos competentes. Em uma tentativa de roubo, na cidade de Peritoró, por exemplo, houve concentração de sete caminhões na entrada da propriedade, prontos para o assalto que não se consumou.


Para o presidente do Sindicato Rural de Bacabal, Jadson Lago, as evidências indicam um grande esquema criminoso que tem à frente pessoas com recursos financeiros e materiais para dar suporte ao roubo, com a manutenção do gado e intermediação da receptação do produto.


De acordo com Jadson Lago, o Sindicato Rural tem sido procurado constantemente pelos criadores da região revoltados com a situação de insegurança. “Por esse motivo, os pecuaristas estão apelando à FAEMA para que solicite ao Governo do Estado providências enérgicas para que o sistema estadual de segurança possa identificar e prender os integrantes dessas quadrilhas” declarou o sindicalista. 

Zé Doca em FOCO 08/02/12

Nenhum comentário: