16 de janeiro de 2013



Assistimos apreensivos e indignados neste inicio de 2013, a reprise de um filme macabro que tem data marcada para ser reexibido, sempre que um prefeito de oposição chega ao poder, entra em cena o velho e manjado filme, já campeão de bilheteria e candidato a vários Oscar. Os personagens, os cenários, as falas e a comedia estilo pastelão são as mesmas, a platéia também é a mesma, a única mudança são os atores que se revezam a cada quatro anos.

Os atores, - os novos prefeitos -, com fala ensaiada e voz modulada no estilo indignação e tragedia usam frases prontas como estas: "a cidade está destruída". “A prefeitura que encontrei é uma verdadeira terra arrasada”. “Encontrei os cofres da prefeitura vazios e muitas contas a pagar”. “O governo do meu antecessor não fazia e não sabia fazer projetos”.

Com esta apresentação teatral os atores - os novos prefeitos - querem desqualificar a gestão anterior, criar uma cortina de fumaça para desviar a atenção da plateia das promessas mirabolante feitas durante a campanha, já que diante da situação de calamidade ora apresentada se torna impossível cumprir o prometido.

O velho filme será reprisado mais uma vez em 2017, quando os novos atores entrarão em cena para repetir o velho script e assim comover e demover a plateia que em lagrimas mais uma vez vai aplaudir o espetáculo de pé.

Jornalista Abimael Costa 

Zé Doca em Foco 16/01/2013

3 comentários:

Anônimo disse...

É A UNICA DESCULPA DE JA COMEÇAR A ENCHER OS BOLSOS.

Lailton disse...

eita alberto, começo mal viu

Anônimo disse...

Cara isso é brincadeira, não fazer carnaval em zé doca, desculpa mais esfarrapada essa desse prefeitinho