27 de janeiro de 2013

Número de mortos no incêndio em boate em Santa Maria chega a 245


O major do Batalhão de Operações Especiais (BOE), Cleberson Braida Bastianello, durante coletiva à imprensa, no ginásio do Centro Desportivo Municipal (CDM), confirmou a morte de 245 pessoas no incêndio que atingiu a boate Kiss, em Santa Maria, na madrugada deste domingo.

O major do Batalhão de Operações Especiais (BOE), Cleberson Braida Bastianello, durante coletiva à imprensa, no ginásio do Centro Desportivo Municipal (CDM), confirmou a morte de 245 pessoas no incêndio que atingiu a boate Kiss, em Santa Maria, na madrugada deste domingo. 

Todos os corpos foram retirados da boate e a identificação prévia das vítimas foi concluída. 

Segundo Bastianello, o número de feridos hospitalizados na cidade é de 48 pessoas. As autoridades ainda não têm como precisar o estado de saúde de todos. 

Os corpos estão no ginásio do CDM. Outras seis vítimas que não resistiram e morreram nos hospitais da cidade devem ser encaminhadas ao ginásio. Os familiares serão levados até as vítimas por ordem de chegada. 

— Após essa identificação, o corpo será liberado para aquele familiar, e então os  corpos deverão ser levados para sepultamento — afirmou Bastianello. 


No ginásio do CDM, foi instalado um Comitê Gestor da Crise para dar apoio aos familiares. Centenas de amigos, pais e familiares estão no local em busca de informações. O procedimento, segundo o Instituto Geral de Perícias (IGP), é que as famílias se dirijam até o CDM, pela entrada lateral da Rua Tuiti, e lá procurem a polícia. A Polícia Civil tem cadastrado os familiares e a previsão é que, em uma hora, o IGP libere a entrada dos familiares no CDM. No entanto, ainda não há previsão do horário da divulgação dos nomes dos mortos.
 
Michele Schneid, 22 anos, que trabalhava no caixa da boate Kiss diz que, no momento do incêndio, haveria uma equipe de 23 funcionários trabalhando no local. Ela conta que as pessoas começaram a gritar "fogo" e foi intensa a correria para se abrigar nos banheiros da boate.
 
_ Eu escutei as pessoas gritarem 'fogo' e foi uma correria. Muita gente correu para os banheiros e acabou morrendo asfixiada _ relata a sobrevivente.



Na tentativa de identificar as vítimas, o Instituto Geral de Perícias (IGP) tem colocado documentos de identificação — como identidade, carteira nacional de habilitação, entre outros — e celulares nos peitos dos mortos.
De acordo com relatos de servidores do IGP, muitos telefones dos mortos no ginásio tocam sem parar.
O primeiro caminhão, por volta das 7h20min, levou pelo menos 77 corpos, no Centro Desportivo Municipal (CDM). Até o momento, famílias que estão no local estão sendo encaminhadas ao portão lateral do CDM, na Rua Tuiti. Inicialmente, a perícia fará a identificação dos mortos que estavam com documentos de identificação (como carteira nacional de habilitação, entre outros). Em um segundo momento, o IGP deve fazer o reconhecimento dos corpos sem identificação. Para isso, deve ser solicitada a ajuda de familiares e amigos.

Do: Zero Hora
Zé Doca em Foco 27/01/2013

Um comentário:

Anônimo disse...

[url=http://cialisnowdirectly.com/#jjain]buy cialis[/url] - buy cialis , http://cialisnowdirectly.com/#hkbxz cialis 40 mg